Sunday, January 15, 2017

Cymbidium tracyanum 2017


Já mencionei este Cymbidium aqui e aqui pois está comigo há vários anos e é lindíssimo. Costuma florir todos os anos por esta altura.
Não resisto a fotografa-lo de novo! É uma "obra de arte" da natureza!
É uma espécie originária da Ásia (China, Tailândia, Myanmar, etc) e cresce agarrado a troncos das árvores em florestas a altitudes acima dos 1000 m.
É cultivada ao ar livre, com poucas preocupações. 


Thursday, January 12, 2017

Paphiopedilum Aladin


Uma nova aquisição cá em casa. É um bonito híbrido resultante do cruzamento dos Paphiopedilum Atlantis com o Paphiopedilum delenatii.
A flor tem uma boa forma e uma tonalidade rosa que se intensifica à medida que a flor vai amadurecendo.
Cultivada como todos os Paphiopedilum, luz filtrada, substrato composto por casca de pinheiro, fibra de coco, perlite e musgo de esfagno. Mantenho sempre o substrato húmido. 
Na próxima Primavera irá para perto dos outros Paphiopedilum, no exterior.




Wednesday, January 11, 2017

Mais dois Cymbidium

E por cá, o jardim continua cheio de Cymbidium.


Cymbidium Ruby Heart 'Ina'



Cymbidium sem identificação.



Tuesday, January 10, 2017

Rossioglossum Rawdon Jester 'Münchner Kindl'

Depois de vos ter mostrado o meu Rossioglossum grande, decidi arranjar mais alguns, tanto espécies como híbridos. Aqui fica o primeiro. Um híbrido bastante parecido com o Rossioglossum grande.

Para já está na minha sala, porque está todo florido, mas na próxima Primavera irá para o exterior.


Rossioglossum Rawdon Jester 'Münchner Kindl'



Monday, January 09, 2017

Restrepia cuprea


Uma pequena orquídea com uma bonita flor em tons acobreados. É originária das florestas montanhosas da Colômbia, e cresce a altitudes até os 1700 m.
É uma planta de temperaturas intermédia a frias e que gosta de uma humidade constante, tanto no ar como no pequeno vaso onde é cultivada com casca de pinheiro fina, perlite e musgo de esfagno.

Esta minha planta foi comprada em Dezembro e floriu passado pouco tempo.



Friday, January 06, 2017

Masdevallia picea


Primeira floração desta pequena orquídea. Foi-me oferecido há uns 3 anos um pequeno corte e plantei-o num pequeno vaso de barro. O vaso está num canto mais fresco do terraço e onde nunca bate o sol. É regada com frequência.

É uma espécie originária do Equador e do Peru crescendo nas copas das árvores, agarrada aos troncos e ramos mais altos, em florestas a altitudes acima dos 2000 m, onde cresce a baixas temperaturas. 

Pelas fotos que tenho visto, não esperava que a flor fosse tão escura. É muito bonita!





Tuesday, January 03, 2017

Jornal do Orquidófilo Nr. 14


Já foi enviado para todos os sócios do Clube dos Orquidofilos de Portugal o mais recente nr. do JORNAL DO ORQUIDÓFILO onde se pode ler e aprender muito sobre o mundo das orquídeas, tanto dentro do clube como pelo mundo!!
Boas leituras!!

Sunday, January 01, 2017

A Invenção da Natureza




Título: A Invenção da Natureza – As Aventuras de Alexander von Humboldt
Autora: Andrea Wulf
Editora: Temas e Debates - Círculo Leitores
Edição: 2016
568 Páginas

 Numa altura em que a biologia se misturava com a religião e que as explicações de muitos mistérios naturais eram justificadas pela “vontade e criação de deus”, nasceu o alemão Alexander von Humboldt, um explorador nato com uma curiosidade imensa por tudo o que a natureza lhe mostrava mas não explicava. Nesta fantástica biografia escrita por Andrea Wulf, ficamos a conhecer o personagem Humboldt assim como muitos outros cientistas e pensadores da época que viveram e foram influenciados pelas suas pesquisas nas mais variadas áreas. Humbodt foi o primeiro a ver o planeta Terra como um todo e a interligar muitos fenómenos naturais variados. Numa época em que os cientistas estudavam em livros e laboratórios, Humboldt ia para o campo, viajava e concluía que as plantas, os animais, os fenómenos climáticos, a geologia, os vulcões e mesmo os povos reagiam e eram influenciados uns pelos outros. Nada era estático. Tudo fazia parte da Natureza! Este livro dá-nos também um interessante retrato da sociedade do séc. XIX e uma boa descrição de todos os países, culturas e personagens com as quais Humboldt se cruzou e estudou. Muitas das ideias de Humboldt eram vanguardistas e nem sempre foram bem aceites mas o seu gosto por ensinar e partilhar os resultados dos seus estudos fez dele um dos maiores e mais conhecidos investigadores da sua época. Este livro vem preencher a lacuna que ficou na história e que o tempo fez esquecer. A autora adianta algumas razões políticas para justificar o esquecimento do mundo de Humboldt, da sua vida e das suas obras de importância vital para o desenvolvimento da ciência e da sociedade em geral. Com a leitura deste livro podemos regressar a esse tempo e repensar em tantas questões que hoje, cada vez mais, são de extrema importância. Esquecer Humboldt não é uma opção e a leitura deste livro é um prazer e um enorme crescimento individual. Eu li a versão original, em inglês, mas existe uma tradução e edição portuguesa.

Um Feliz 2017

Para aqui vai passando, os meus melhores votos de um...


A orquídea é um Rossioglossum Rawdon Jester 'Münchner Kindl' comprado no final de 2016.

Monday, December 26, 2016

Paphiopedilum insigne


Talvez o "Sapatinho" mais comum em Portugal  e também o mais fácil de cultivar. Muito comum na ilha da Madeira.
Este foi uma oferta e é a sua primeira floração na minha casa!
Cultivado todo o ano no exterior com regas abundantes.



Festas Felizes!

A todos os que por aqui passam... 

Monday, December 12, 2016

Revista Jardins Dez. / Jan.


Neste último número deste ano, a celebrar a época natalícia em que as plantas têm também um importante papel decorativo, o meu artigo é sobre os cuidados a ter com as orquídeas no Inverno.
Mas como o trabalho não pára, a Teresa Chambel lembra-nos "12 Tarefas importantes para fazer no Inverno". Com o inspiração natalícia, a Ana Luísa Soares e a Ana Raquel Cunha escrevem sobre "A Árvore de Natal", o Tiago Veloso escreve sobre a "Poinsétia, a Estrela de Natal", a Marta Malheiro sobre "Natal nas Varandas" e o Luís Mendonça de Carvalho assina um artigo muito interessante sobre "Incenso e Mirra, as resinas sagradas". Todos os apontamentos decorativos e culinários estão, neste número, inspirados no Natal, mas temos ainda "Escolha de árvores exuberantes para o seu jardim", de Bruno Aguiar, o cultivo de Araçás, por João Franco e de Diospiros, pelo Pedro Rau. A Elsa Severino visitou os Jardins do Vaticano e conta-nos tudo e a Vera Ramos quer levar as crianças para a horta. O José Arantes dá-nos 5 dicas para cultivar Broculos e Espinafres e a Fernanda Botelho escreve sobre a trindade vegetal para a prevenção de maleitas no Inverno, "Urtigas, Violetas e Morugem". O José Pedro Fernandes ensina-nos a produzir os seus germinados e microvegetais, cada vez mais presentes na nossa dieta e a revista fecha com o interessante artigo do Prof. Raimundo Quintal, desta vez sobre o "Azevinho da Madeira".
Aproveito para desejar a todos os leitores da JARDINS um Feliz Natal e um Óptimo Ano Novo, com boas leituras e muita jardinagem!