Thursday, March 26, 2015

Sievekingia fimbriata


É uma orquídea originária da Costa Rica, Colômbia e outros paízes da América do Sul de climas tropicais. São plantas próximas das Stanhopea e visualmente muito identicas excepto que, mais pequenas em tamanho. Têm pseudobolbos com cerca de 2cm de comprimento com uma folha plicada. 

Normalmente é cultivada em vasos ou cestos de madeira suspensos porque as suas flores pendem em cachos que podem atingir as 15 flores por cacho. O substrato deve permitir uma boa drenagem e pode ser constituído por casca de pinheiro fina, fibra de coco, perlite, fibras de feto arbóreo ou musgo de esfagno. O substrato deve manter-se húmido mas não podemos deixar secar demasiado nem encharcar o substrato.

Esta planta veio com outras iguais para o Jardins Sintra com as folhas todas manchadas e muita gente alvitrou serem fungos. A minha suspeita foi que as manchas era devidas a serem transportadas dentro dos sacos, em Fevereiro, dentro de camiões refrigerados. Entretanto fiquei com uma e mantive-a no Orquidário dos Jardins Sintra, onde trabalho. Agora, dois anos depois, esta pequena orquídea está de óptima saúde e deu agor a primeira floracão.




Wednesday, March 25, 2015

Mais alguns Cymbidium

A o desfile dos Cymbidium continua no meu jardim onde a Primavera começa a despertar algumas plantas mas os Cymbidium parece que querem continuar a colorir o jardim por mais umas semanas!


Cymbidium Half Moon 'Wonderland'


Cymbidium Scotts Sunrise 'Aurora'



Cymbidium Wallacia



Cymbidium Yellow Cadillac


Wednesday, March 18, 2015

Os meus Cymbidium em Março

Cymbidium com identificação que floriram no mês de Março.


Cymbidium Cliff Hutchings 'Peewee'


Cymbidium Eastern beauty 'Kagaribi'



Cymbidium Endre Ostbo 'Faith'


Cymbidium Mary Green 'Spring Wind'


Cymbidium Set Wine Yoshi



Cymbidium Tigel Geel


Cymbidium Valley Vampire 'Blood'



Cymbidium Vogels Magic

Saturday, March 14, 2015

Limpeza do Canto das Suculentas

Trabalho de Sábado cá em casa no cantinho do terraço onde tenho várias suculentas. Foi tudo tirado, incluindo a 'casa dos gatos' que já não é utilizada e foi colocada uma mesa nova dando assim um maior acesso aos vasos das plantas. Ainda não está terminado mas já foi um bom trabalho.



Antes


Depois da limpeza


Tudo nos lugares

Wednesday, March 11, 2015

200 Plantas do SW Alentejano



Não é com muita frequência que temos livros editados sobre plantas em Portugal e assim a edição deste “200 Plantas do SW Alentejano & Costa Vicentina” suscitou-me a curiosidade em variados aspectos. É um livro de duas autoras portuguesas, sobre plantas do nosso país e, aqui mais particularmente, sobre as plantas da minha terra. É um livro muito prático e que cabe em qualquer bolsa, logo bom para nos acompanhar em passeios pelo campo. O método de procura está bem escolhido, pela cor da flor. O livro está marcado por zonas coloridas de fácil acesso e onde encontramos as flores de uma determinada cor. Nada mais fácil. Quando encontramos a flor que procuramos, temos à nossa disposição um leque de informações úteis sobre a planta, desde o nome científico, nome comum, as características da planta e dos locais onde pode ser encontrada entre outras curiosidades. Tudo isto em duas línguas, português e inglês, uma opção inteligente pois o público estrangeiro, tanto os turistas como os residentes no nosso país terão tanto ou mais interesse na nossa flora que nós próprios. Mas este livro não se fica por aqui, temos muita informação extra neste livro, sobre botânica, sobre os vários tipos de habitats existentes na zona do SW alentejano e costa vicentina, e sobre onde encontrarmos mais informação sobre plantas em Portugal. Tudo muito bem paginado, identificado, com uma apresentação impecável, bom grafismo e fotografias. Depois de tudo isto, fica a pergunta no ar: - Para quando as plantas de outras zonas de Portugal?

Tuesday, March 10, 2015

Cymbidium Mary Green`Spring Wind`

A florir neste momento com três bonitas hastes florais. As fotos não ficam com as cores exactas mas mesmo assim consegue-se ver a beleza deste Cymbidium híbrido, resultado de um cruzamento entre o Cymbidium Sarah Jean e o Cymbidium devonianum.

Cultiva-se como qualquer Cymbidium, mas como as hastes florais são pendentes, caindo em cascata, devemos optar por um vaso alto ou um cesto suspenso.



Monday, March 09, 2015

Coelogyne cristata, a Rainha da Neve

Acho que já tinha tido uma Coelogyne cristata que acabou por morrer por desidratação, há uns anos. No entanto, em 2013, quando visitei o Chelsea Physic Garden, em Londres, eles tinham um bonito cesto com uma Coelogyne cristata toda florida e achei muito bonito. Gostei e decidi aprender mais sobre elas para tentar de novo.

São originárias do continente asiático e crescem em habitats semelhantes aos dos Cymbidium, logo, podem ser cultivados, no nosso país, no exterior. Como são plantas mais pequenas, com pseudobolbos lisos e redondos com duas pequenas folhas na ponta de cada pseudobolbo. Os rizomas têm tendência para pender, logo ficam bem se cultivados em vasos altos, pendurados, cestos ou mesmo montados em cortiça.

Gostam de estar com as raízes sempre húmidas, com musgo, e um indicador de que podemos estar a regar pouco são as pontas das folhas que começam a secar.

Tenho neste momento três plantas diferentes, três variações da mesma espécie. A Coelogyne cristata, a C. cristata var. hololeuca (toda branca) e a C. cristata var. citrina, que comprei o ano passado e nunca floriu (e parece que ainda não é este ano).

São cultivadas todo o ano no exterior mas protegidas da chuva. Uma está num cesto e as restantes estão em vasos de plástico pendurados. Este ano é o primeiro ano que deram flores. A C. cristata hololeuca esteve exposta na Exposição em Sintra com duas flores e depois formou mais botões e tem neste momento uma nova flor aberta. A C. cristata tem três hastes florais e abriu hoje as primeiras duas flores.

É chamada de Rainha da Neve porque em muitos bosques que ficam, no Inverno, cobertos de neve, as Coelogynes cristata abrem as suas flores antes da neve derreter.




Coelogyne cristata


Coelogyne cristata var. hololeuca

Thursday, March 05, 2015

Algumas compras

Novidades compradas na Exposição de Sintra!! 


Baptistonia echinata


Epidendrum englerianum 'Akerne' BC/RHS


Epidendrum paniculatum

Monday, March 02, 2015

As Camélias em Sintra

Algumas Camélias que gostei na Exposição "Camélias e Orquídeas em Sintra".













Friday, February 27, 2015

Revista Jardins de Março


Já está à sua espera o número de Março da revista JARDINS.
Nesta revista escrevo sobre a Orquídea do momento - O Cymbidium, com várias dicas para um melhor cultivo. Também no final, o artigo da Vera Nobre da Costa é sobre um trabalho de recuperação, reenvasamento e tratamento que fizémos, pelos Jardins Sintra, às orquídeas da sua estufa.
A Teresa Chambel salienta o que está florido neste mês e a "Terra Fresca" comenta sobre as hortas sustentáveis. A Sofia Amial Trigo escreve sobre Camélias e o Tiago Veloso sobre Magnólias. Aprendemos ainda a escolher as trepadeiras adequadas para os nossos jardins, conhecemos o Monte da Ravasqueira, no concelho de Arraiolos e levamos as crianças a jardinar. O Pedro Rau escreve sobre o Girassol, a Fernanda Botelho sobre algumas plantas que marcaram a história e o João Franco sobre Citrinos. São também interessantes as rubricas de Culinária, Calendário Lunar, Conselhos do Mês e Arranjos florais.
Isto e muito mais para ler na revista JARDINS de Março 2015.