Monday, June 22, 2015

Um Feliz Dia do Orquidófilo




No dia 22 de Junho celebra-se o DIA DO ORQUIDÓFILO e eu não podia deixar passar este dia sem desejar um dia muito feliz a todos os orquidófilos como eu!!

Para saber o porquê de se celebrar hoje o dia dos orquidófilos, consulte a página do Clube dos Orquidófilos de Portugal.

Wednesday, June 17, 2015

Tillandsia seleriana


Uma Tillandsia que está comigo há uns bons anos. Cresceu imenso. Deu uns filhotes que cresceram ao lado das plantas mais velhas e estão agora em flor.
Estão todo o ano no exterior e são borrifadas com alguma frequência, especialmente quando está calor. Apanham sol de manhã. Pontualmente é alimentada com adubo liquido diluído na água.

É uma planta que crescem em florestas de pinheiros ou carvalhos em variadas altitudes, até aos 2400 m, desde o México às Honduras. É a Tillandsia que têm o maior pseudobolbo atingindo por vezes 15cm de diâmetro da base e cerca de 30 cm de altura com a haste floral.



Tuesday, June 16, 2015

Leonotis leonorus


Outra planta sul africana. Este é o segundo ano na minha casa. É resistente a secas e dá-se bem em climas mediterrânicos. Se as temperaturas descerem no Inverno, é aconselhável coloca-la num local mais protegido e ameno. Eu podei a minha no Inverno mas deixei-a no exterior.

É chamada de "Cauda de Leão" ou de "Punhal Selvagem" e as suas flores cor de laranja atraem insectos e pássaros.

É uma planta com alguma toxicidade, por isso há que ter cuidado com crianças e animais.





Monday, June 15, 2015

Lycaste deppei


A minha Lycaste mais generosa nas florações. Este ano deu uma flor em Janeiro e agora mais 6 flores. 

É uma espécie encontrada em Guatemala e no México a crescer epífita em florestas húmidas a altitudes entre os 1100 e 1500 m. Apesar de ser considerada uma orquídea de climas quentes, adapta-se bem às temperaturas aqui em Portugal e a minha está todos o ano no exterior com temperaturas que podem variar entre os 5ºC e os 40ºC. Recebe alguma luz mas filtrada por uma rede de sombra.

As flores são de tamanho médio (6-7 cm) e com um agradável perfume. 




Wednesday, June 10, 2015

Kniphofia - o Lírio Tocha


Originária da África do Sul, esta bonita planta pode tornar-se invasora. A minha está segura num vaso e este ano está a florir em grande quantidade (o ano passado deu uma única flor).
É uma planta resistente e que resiste a temperaturas baixas sem problemas. Deve ser plantada num local ao sol e regada com moderação. Devemos fertilizar na Primavera para uma floração no final da Primavera ou Verão.
As flores podem atingir o 1,50m.
São muito bonitas e sobressaem em qualquer jardim. 



Thursday, June 04, 2015

Phalaenopsis cornu-cervi

Adoro estas pequenas espécies de Phalaenopsis. É nesta época que retomam as suas florações. Não são das mais fáceis de manter, precisam de calor no Inverno, boa luz e regas controladas, mas não são nenhum bicho de sete cabeças. Há que, como em todas as orquídeas, ter atenção e dedicação. E depois, anualmente e durante alguns meses, temos estas pequenas florinhas para nos alegrarem a vida. A felicidade é feita destas pequenas coisas!


Phalaenopsis cornu-cervi


Phalaenopsis cornu-cervi var. Chataladae

Tuesday, June 02, 2015

Revista Jardins de Junho


Na revista JARDINS deste mês, com uma linda capa dedicada às rosas, podem ler, escrito por mim, algumas notícias, uma critica literária e o habitual artigo sobre Orquídeas (desta vez sobre Masdevallias). Mas há muito mais para ler: vejam o que está bonito em Junho, conheçam mais sobre Rosas no artigo escrito pelo Carlos Pires e aprendam a fazer uma horta num terraço. O Tiago Veloso escreve sobre a Lantana montevidensis e a Fernanda Botelho escreve sobre o Jardim e viveiro Verdeal da Roca. Se tem curiosidade sobre especiarias, não pode deixar de ler o artigo do Luís Mendonça de Carvalho. A Inês Costa Macedo apresenta-nos a Quinta do Paço de Lanheses e o José Pedro Fernandes escreve sobre Flores Comestíveis da Horta e sobre o calendário Lunar para Junho. O Pedro Rau explica a importância da análise dos solos e o João Franco escreve sobre Maracujás. A Teresa Chambel ajuda-nos a prepar o Verão no nosso jardim e a Vera Nobre da Costa leva-nos a viajar pelo Japão e a conhecer o jardim Yumebutai - o Palco dos Sonhos. Estão também interessantes outras rubricas, como Jardinar com crianças, culinária, decoração de jardins. Uma revista cheia, para ler, guardar e consultar sempre que necessário!! Boas leituras e boa jardinagem!!

Monday, June 01, 2015

Sievekingia fimbriata


É uma orquídea originária da Costa Rica, Panamá e Colômbia que cresce de forma epífita nas florestas de zonas montanhosas. É uma planta de tamanho pequeno/médio com pequenos pseudobolbos ovais, com uma folha na ponta. 

As hastes florais são pendentes e crescem em abundância na Primavera e Verão. Aparecem na base dos pseudobolbos e abrem em pequenos cachos de várias flores. São perfumadas e a sua duração é curta, cerca de 5 dias. 

As flores são muito bonitas, rendilhadas, e a espessura das flores é mínima, dando-lhe um aspecto muito frágil e quase transparentes.

Este meu exemplar chegou em 2012, no Inverno, um bocadinho fragilizada e com as folhas danificadas e com manchas. Acho que devido ao frio. Entretanto foi recuperando e este ano, em Março, deu a primeira haste floral. Neste momento está novamente em flor com duas hastes abertas e mais nove em desenvolvimento.

É muito bonita!!





Tuesday, May 26, 2015

Desafio do Cantinho das Aromáticas




No passado mês de Abril saiu um artigo sobre o CANTINHO DAS AROMÁTICAS na revista que é distribuída nos aviões da TAP. O Luís Alves desafiou todos os que viajassem na TAP nesse mês para tirarem uma foto mostrando o artigo a bordo de um avião TAP, e assim tirei estas duas fotos quando fui a Londres assistir ao Congresso Europeu de Orquídeas. 

Na volta do correio tinha um simpático pacote com alguns exemplos da vasta gama de produtos do CANTINHO DAS AROMÁTICAS! Aqui ficam mais fotos, no meu jardim, logo ao acordar, com uma infusão a sério, para começar bem o dia!

Muito obrigado Luís Alves e o seu CANTINHO DAS AROMÁTICAS!!









Monday, May 11, 2015

The Gardener's Garden


Já vi este livro referenciado em duas outras publicações portuguesas e, pelo que foi escrito, tenho as minhas dúvidas sobre se teriam sequer passado os olhos sobre a obra.
É um livro sobre jardins, um guia sobre jardins de todo o mundo, mas não quer premiar ou escolher os melhores jardins de cada continente ou país. Este livro é sobre jardins de autor, jardins que são famosos e merecedores de destaque pelos jardins que são, mas também pelos seus criadores. Não é o resultado de nenhum concurso, como já li em outros locais.
Os jardins mencionados são escolhidos pelos autores e pelos muitos colaboradores que participam nesta obra de peso. São mais de 250 jardins de todos os continentes exceto a Antártida e são muito variados. São jardins de vários estilos e que mostram as influências tanto de designers importantes do passado como de famosos designers contemporâneos. Jardins históricos, jardins restaurados, colecionadores de plantas ou simplesmente jardins particulares que hoje em dia são considerados importantes jardins de autor.
Cada jardim é retratado por algumas fotos (3 a 4 em média) e uma descrição breve que começa com os nomes dos criadores dos jardins, o século em que foi construído, o tamanho, o tipo de clima onde se insere e as suas características principais. Segue-se uma coluna de texto com as principais referências a assinalar em cada jardim e a legenda das fotos.
No final, o livro apresenta-nos ainda um Glossário, uma lista de Exposições e Festivais de Jardins, Clubes e Associações de Jardinagem, uma bibliografia aconselhada para quem queira aprofundar mais sobre algum tema ou jardim e um diretório e lista de websites sobre jardins.
Resta salientar que podemos encontrar cinco jardins portugueses nesta obra: o Parque de Serralves (Porto), a Quinta da Regaleira (Sintra), o Jardim do Palácio dos Marqueses da Fronteira (Benfica, Lisboa), o Jardim Terra Nostra, (São Miguel, Açores) e a Quinta do Palheiro (Funchal, Madeira).

É um livro onde nos perdemos a viajar e muito útil para tirar pequenas ideias que podemos adaptar às realidades de cada um. Na introdução, uma das autoras cita o falecido designer de jardins inglês, Russel Page, ao afirmar que “qualquer aventura de jardinagem começa com observação, observação e mais observação”. Um jardim sem planeamento e sem o estudo do que o rodeia é um jardim condenado. Os jardins que este livro nos apresenta vivem para além dos seus autores e têm todos algo em comum: a paixão pela natureza, pelas plantas e por jardinagem.